Perito Judicial Engenheiro: Descubra em qual área atuar

Tempo de leitura: 16 minutos

O engenheiro tem que criar, formular, calcular, estudar, se atualizar e também tem suas funções sociais. Um profissional com tanta carga e conhecimentos está muito apto a dar auxílios a diversos setores da sociedade. 

Entre estes setores encontramos o poder judiciário.

Isso mesmo.

O perito engenheiro terá o papel de ajudar o juiz nos casos concretos, apontando, no laudo laudo pericial, a melhor solução para o que lhe foi requerido.

Diversos profissionais de nível de ensino superior podem atuar na Perícia Judicial. Entre eles estão os engenheiros que das seguintes áreas (entre outras).

● Engenharia Civil
● Engenharia de Segurança do Trabalho
● Engenharia Química e Engenharia Ambiental
● Engenharia Elétrica e Engenharia da Computação
● Engenharia Mecânica

O que se pode dizer sobre cada uma dessas áreas de atuação no atual mercado nacional?

Como um engenheiro pode se qualificar para trabalhar na Perícia Judicial?

Vamos considerar a partir de agora a resposta para estas perguntas dentro de cada um dos campos de engenharia mencionados acima.

Saiba mais detalhes sobre como se qualificar para ser um perito judicial.

Perito Engenheiro Civil #1

Perito Judicial e do Engenheiro Perito

Os conhecimentos que um profissional de Engenharia Civil adquiriram pode habilitá-lo com louvor a nadar com muita propriedade nos ‘mares’ da Perícia Judicial.

Definição

Um engenheiro perito judicial pode usar o aprendizado, as habilidades e a experiência que adquiriu para emitir laudos e pareceres. Isso contribui para o andamento de processos judiciais complexos.

O engenheiro que é Perito Judicial torna o ambiente da construção civil mais seguro. Seu trabalho costuma propor direções para que se evite ao máximo possível a ocorrência de acidentes que colocariam em risco a vida dos envolvidos em tais empreendimentos.

Por ser um campo de atuação bem aberto, a Perícia Judicial para engenheiros civis exige especialização adequada.

Atuação

Quando um engenheiro civil decide se qualificar como perito, ele pode trabalhar para empresas ou para o Estado preparando laudos e avaliações judiciais.

Especificamente quando trabalha para empresas privadas, o profissional de Engenharia vai contribuir com suas qualificações para processos de arbitragem.

Se o seu trabalho estiver voltado para decisões da Justiça, a função do perito em Engenharia Civil será auxiliar o Juiz na tomada de decisões. Em geral, isso só pode ser feito após a apresentação das avaliações apresentadas por ele.

Qualificação

Hoje em dia não basta ser engenheiro civil para atuar como perito judicial. E necessário realizar um curso de especialização.

Alguns conceitos adicionais necessários incluem informações sobre Meio Ambiente, Direito e Mercado Imobiliário. Portanto, entre os requisitos para exercer a função de perito judicial, um engenheiro precisa ter conhecimentos técnicos.

Competências

O profissional precisa desenvolver sua habilidade de interpretar a realidade da situação e de argumentar de maneira sólida. Só assim, seus laudos serão confiáveis e poderão servir como base consistente para que o Juiz tome as melhores decisões possíveis.

Mercado de Trabalho

O valor médio por hora trabalhada do engenheiro perito judicial é de cerca de R$ 320,00. Ele pode trabalhar tanto para órgãos públicos como também para empreiteiras.

É muito comum que hidrelétricas contratem um engenheiro perito judicial para avaliar danos em potenciais à natureza antes e durante a execução da obra. Em outros casos, essas geradoras de energia podem precisar dos serviços de avaliação perita alguns anos após o término da obra.

Há muita demanda de trabalho e pouca qualificação profissional de engenheiros peritos judiciais. Sendo assim, o mercado de trabalho é amplo e bem remunerado.

Perito Engenheiro de Segurança do Trabalho #2

Perito Judicial e do Engenheiro Perito

A periculosidade e a insalubridade gera um grande aumento de pedidos de demissão nas empresas. Por causa disso,a função de um perito de Engenharia de Segurança do Trabalho é essencial.

O profissional que opta por contribuir com laudos e perícias judiciais nessa área de atuação é altamente requisitado no atual cenário econômico nacional.

Definição

A fim de se qualificar como perito em Engenharia de Segurança do Trabalho, exige-se formação superior em Medicina ou Engenharia. Além disso é preciso ter pós-graduação com especialização em medicina do trabalho ou segurança do trabalho.

Após concluir um curso de Perícia Judicial, que pode ser feito no formato EAD online, o profissional pode buscar oportunidade de atuação nessa área.

Atuação

Existe uma enorme carência de profissionais para atuar nessa área judicial de trabalho. Muitas perícias de periculosidade e de insalubridade precisam ser realizadas em períodos regulares.

Assim, muitos engenheiros de Segurança do Trabalho vivem apenas das perícias e laudos que apresentam para a Justiça do Trabalho e a Justiça Federal e Estadual.

Já outros profissionais são contratados por empresas privadas para atuar exclusivamente como assistentes técnicos de Segurança do Trabalho.

Assim, na maior parte do tempo sua atuação é auxiliar o Juiz na tomada de decisões. E nos intervalos de tempo, pode-se trabalhar para empresas, com uma média salarial generosa.

Qualificação

Não basta ser apenas Engenheiro de Segurança do Trabalho ou Médico para atuar como perito nesta área. É preciso obter um conhecimento profundo sobre o código de processo civil.

É preciso um curso de especialização para aprofundar-se nas normas exigidas por Lei. Só assim um profissional poderá cumprir os requisitos para apresentar laudos e perícias judiciais.

Competências

Um dos maiores trunfos de um bom perito de Engenharia de Segurança do Trabalho é dominar os detalhes sobre a NR 15 e detalhes relacionados.

Se um perito será bem sucedido ou não, muito depende do que aprender a respeito de normas como a NR 15, acima de tudo avaliando com cuidado a ação do calor e de agentes químicos.

Mercado de Trabalho

Assim como em outros casos, o perito judicial em Engenharia de Segurança do trabalho pode atuar para os governos Federal e Estadual, assim como também para empresas privadas.

O que muitas vezes determina a contratação de um perito judicial de Segurança do trabalho é o seu conhecimento e domínio das regras aplicáveis ao setor pericial em questão.

Assim, o curso de especialização para perito judicial de Engenharia de Segurança do Trabalho precisa ser escolhido à dedo.

O mercado é amplo, mas busca peritos que não deixam dúvidas nas mentes de seus contratantes.

Perito Engenharia Química e Perito Engenheiro Ambiental#3

Perito Judicial e do Engenheiro Perito

 

Há diversos setores para que um engenheiro químico ou ambiental possa atuar como perito judicial. Por outro lado, algumas opções estão sendo pouco exploradas. Isso faz com que elas se tornem bem requisitadas e, por isso, mais remuneradas. A Química Forense é uma delas. Mas existem muitas opções além dessa.

Assim, vamos entender melhor esse ramo da Perícia Judicial.

Definição

O que faz um perito judicial de Engenharia Química? Ele aplica seu aprendizado em laboratórios criminais, industriais e de combustíveis. O Engenheiro Ambiental trabalha em setores similares, garantindo ao Meio Ambiente as melhores aplicações tecnológicas do momentos.

Além disso, o perito judicial dessas áreas pode emitir laudos sobre a fabricação de tintas e fazer avaliações sobre química nuclear e química orgânica.

Atuação

Um profissional de Engenharia Química pode auditar, avaliar e emitir laudos sobre a fabricação, o beneficiamento e a aplicação de vidros na Construção Civil.

Além disso, um Engenheiro Ambiental pode emitir pareceres judiciais sobre o tratamento de efluentes, sobre projetos para gerenciar resíduos, obter licenciamento ambiental e avaliar danos para o Meio Ambiente, entre outras funções.

Qualificação

Um curso de qualificação para que engenheiros químicos ou ambientais se tornem peritos aprofundará conhecimentos sobre as normas aplicáveis à área de Perícia Judicial em questão.

Saiba mais detalhes sobre o curso para perito de Engenharia Química.

Competências

O perito judicial de Engenharia Química ou Ambiental precisa conhecer profundamente as normas legislativas que incluem o projeto, o desenvolvimento e a operação de processos que conduzem a transformações químicas.

Suas habilidades envolvem avaliar de forma crítica as tecnologias aplicadas aos processos químicos de empresas e instituições.

Ele deve conhecer a fundo o planejamento de processos industriais e o modo de funcionamento de diversos equipamentos.

Assim, seus laudos poderão auxiliar a Justiça a descobrir se as ações de certas empresas ou instituições promovem boas práticas de sustentabilidade.

Somente um curso de alta qualidade pode qualificá-lo para atuar como perito judicial de Engenharia Química.

Mercado de Trabalho

Assim como em outras áreas da Engenharia, o perito judicial engenheiro químico é muito requisitado. O mesmo ocorre com o Engenheiro Ambiental.

Uma das maiores demandas atuais de profissionais dessa área judicial química no Brasil é a de Perito Químico Forense. Diversos seriados na TV e na internet estão aumentando o desejo de que mais profissionais se qualifiquem para essa área de atuação.

A análise criminalística está sendo cada vez mais bem remunerada no cenário nacional. Como ainda é pouco explorada, acaba sendo também mais requisitada.

Segundo o Conselho Nacional de Justiça, o Poder Judiciário do Brasil possuía em 2015 aproximadamente 100 milhões de processos judiciais. A quantidade de advogados auxiliando nesses processos é enorme.

Mas o número de peritos ainda é bem baixo, em relação ao número de processos. Isso se torna ainda mais relevante para os peritos judiciais da Engenharia Química e da Engenharia Ambiental. Eles podem atender uma demanda constante de trabalho por se qualificar como peritos com um curso da IAPA.

Perito Judicial de Engenharia Elétrica e Perito Judicial Engenharia da Computação #4

Perito Judicial e do Engenheiro Perito

Engenheiros elétricos também são altamente requisitados no Brasil. Prova disso são os processos judiciais envolvendo prestadoras de serviços de energia e consumidores.

A Engenharia da Computação está ganhando um campo bem promissor de atuação. A medida que o inbound marketing trouxe empresas grandes para o marketing digital, surge a necessidade constantes de proteção de dados. Aos poucos, a Justiça Federal está tomando decisões com base no que os peritos engenheiros da computação recomendam.

Definição

Um perito judicial engenheiro elétrico pode auxiliar diversos níveis da Justiça a tomar decisões importantes. O mesmo ocorre no caso dos peritos da Engenharia da Computação.

Algumas delas estão relacionadas a laudos sobre telecomunicações, cálculos de insalubridade e de periculosidade e segurança na rede elétrica de construções. Para proteger dados pessoais e corporativos, muitos estão procurando os trabalhos de peritos judiciais na área da computação.

Tudo o que envolve a aplicação de eletricidade faz parte dos processos judiciais que o perito judicial engenheiro  atende. Por outro lado, a análise judicial do processamento de dados têm sido cada vez mais direcionada para os profissionais de Engenharia da computação.

Atuação

As áreas em que um perito judicial engenheiro elétrico atuam incluem inspecionar, analisar e avaliar a conformidade das instalações elétricas de prédios residenciais, comerciais, industriais e públicos.

O perito judicial engenheiro dessa área também analisa e avalia o funcionamento de equipamentos eletrônicos, sejam eles digitais ou analógicos.

Com o avanço da tecnologia, hoje em dia, a função mais procurada para um perito judicial de Engenharia Elétrica envolve emitir pareceres sobre terminais de telecomunicação, sistemas que utilizam robótica e microprocessadores.

Quem trabalha como perito na Engenharia da Computação pode atuar emitindo laudos de pesquisa interna de dados em órgãos públicos, empresas privadas e empresas de telecomunicação.

Qualificação

Qualificar-se para se tornar um perito judicial de Engenharia Elétrica envolve mais do que apenas a sua formação acadêmica superior.

É preciso se aprofundar mais nas normas que regem a Engenharia Elétrica. Conhecer os fundamentos da Eletricidade e de suas aplicações práticas é uma coisa. Entender as normas dos órgãos reguladores é outra.

Assim, é importante saber mais sobre o curso de Perícia Judicial para profissionais de Engenharia Elétrica e de Engenharia da Computação.

Competências

O que se espera de um perito judicial da Engenharia Elétrica? Acima de tudo, ele precisa conhecer as normas regulamentadoras das áreas em que vai atuar.

Por exemplo, há regras normativas sobre o uso de determinados instrumentos médicos, de equipamentos eletrônicos, de monitoramento de satélites, de controle de sinal de rádio ou celular e tantos outros.

Assim, o curso para capacitar o profissional de Engenharia Elétrica como perito precisa abordar esses e outros aspectos pontuais da Perícia Judicial. Só assim será mais fácil obter oportunidades amplas de trabalho nessa área de atuação judicial.

Mercado de Trabalho

Além das áreas já mencionadas acima, o perito judicial engenheiro elétrico pode auxiliar a Justiça em outras funções necessárias.

A maioria delas é bem remunerada. Apenas a título de exemplo, a comunicação celular têm obtido mais atenção da Justiça nos últimos anos.

Em alguns casos, a análise de informação por parte dos peritos judiciais dessa área levam meses para ser concluídas. Isso quer dizer que o perito acaba trabalhando por um bom tempo num processo só. O que isso pode representar para um engenheiro elétrico?

Que é possível viver da renda de apenas um contrato por vários meses de trabalho. O resultado disso é poder planejar com bastante antecipação a agenda de trabalho.

Perito Judicial de Engenharia Mecânica#5

Perito Judicial e do Engenheiro Perito

 

Por fim, chegamos à Engenharia Mecânica. Ela forma os peritos que atuarão no auxílio à decisões envolvendo o uso de máquinas e equipamentos.

Independente se esses forem veículos de transporte, máquinas de funcionamento complexo ou equipamentos usados em instalações de mineração, o perito engenheiro mecânico vai cuidar de que a segurança dos envolvidos seja uma prioridade.

Definição

Um perito judicial da Engenharia Mecânica analisa, avalia e emite laudos para o poder Judiciário. Sua intenção é mostrar se determinados equipamentos, máquinas, geradores de energia, veículos, são seguros e até que ponto possuem a eficiência proposta.

As normas da ABNT estão constantemente sendo revistas. Conforme a necessidade, elas podem sofrer ajustes e o perito judicial engenheiro mecânico é o profissional que as conhece como ninguém.

Atuação

Os ramos de atuação são diversos. Um perito judicial que se formou como Engenheiro Mecânico pode trabalhar tanto para empresas privadas como para os governos municipais, estaduais e Federal.

O objetivo dele é apresentar ao contratante laudos periciais precisos de acordo com as mais recentes normas de segurança. Sua atuação deve ser precisa, não apenas baseada em suposições.

A apresentação do laudo deve incluir detalhes característicos precisos do alvo da pesquisa, o histórico de funcionamento e os indicadores que comprovam a maneira de usar o equipamento, máquina ou veículo em questão.

Qualificação

Assim como abordamos em todo esse artigo, não basta um profissional graduar-se como engenheiro. É também o caos da Engenharia Mecânica.

Ao passo que a graduação acadêmica desenvolve o ensino dos aspectos teóricos e práticos de uma área, um curso de especialização para a Perícia Judicial vai além. Ele mostra quais são as regras a serem respeitadas pela Engenharia Mecânica e o modo como se espera que elas sejam aplicadas.

Assim, um requisito para atuar como perito judicial engenheiro mecânico é concluir um curso de especialização nessa área.

Competências

Algumas habilidades são essenciais para o perito judicial de Engenharia Mecânica se tornar competente em seu trabalho.

Ele precisa usar um raciocínio estritamente lógico, ter amplo conhecimento sobre normas de segurança, ser observador, ter alta capacidade de análise do histórico de funcionamento de processos, saber questionar sobre o manejo de determinado equipamento, veículo ou máquina.

Além de tudo isso, ele precisa ser exímio em cálculos e estatística, para compor pesquisas sólidas que dêem ao Juiz boa base para tomar decisões assertivas.

Mercado de Trabalho

Pode-se afirmar que há mais peritos judiciais de Engenharia Mecânica do que em outras áreas. Mas a demanda também é maior.

Isso faz com que o curso para perito judicial seja uma alternativa para os profissionais que querem aumentar a sua renda.

Tanto as várias esferas governamentais como empresas privadas sempre buscam contratar peritos judiciais. A preocupação com a segurança dos membros de uma instituição sempre está em alta.

Como os processos judiciais costumam demandar bastante tempo, a disponibilidade de peritos da Engenharia Mecânica alivia a carga operacional de trabalho de muitas empresas.

Qualifique-se como perito judicial engenheiro e poderá se cadastrar para oferecer seus serviços aos mais diversos tipos de áreas de atuação.

E você? O que achou do nosso artigo? Foi esclarecedor? Esperamos que sim. Desejamos que os profissionais de Engenharia Civil, Engenharia de Segurança do Trabalho, Engenharia Química, Engenharia Ambiental, Engenharia Elétrica, Engenharia da Computação e Engenharia Mecânica se qualifiquem como peritos judiciais.

Temos muita informação sobre o assunto em nosso site. Consulte-o e deixe suas dúvidas lá. Será um prazer responder a todas elas! Ou acesse nosso blog.

[wpdevart_facebook_comment/* Para remover esta mensagem, instale e configure o plugin Facebook Comments WordPress (https://wordpress.org/plugins/comments-from-facebook/) em "Plugins > Adicionar Novo" */]